Sustentabilidade familiar

Sustentabilidade. Esta é a palavra de ordem neste novo tempo. Prega-se que devemos usufruir dos recursos que a natureza nos oferece sem destruí-la. Em contrapartida, em momento algum ouvimos dizer que deveríamos preservar nossas famílias, para que através delas aumentemos o nível de consciência social em relação à proteção do meio ambiente.

Em todo o tempo ouvimos que o que fazemos hoje irá refletir no futuro da próxima geração, mas pouco, ou quase nada, é feito para que a nova geração seja diferente da atual. Pelo contrário, a base da sociedade – a família – que deveria ser preservada para nos garantir o futuro, é constantemente desprezada. Com isso, não somente a família é prejudicada como também o senso de pertencimento das pessoas em relação ao meio, no qual elas habitam. Preservar a família é preservar o futuro, consequentemente, a natureza, pois é na família que aprendemos o valor da vida.

A alternativa sensata é lutar pela sustentabilidade da família, trabalhando pela construção de um lar sustentável, porque “sustentabilidade” se refere ao “que se pode sustentar ou que seja capaz de se manter mais ou menos constante, ou estável, por longo período” (Aurélio). Uma família “estável” e “constante” nos garante dias melhores.

Na prática, a sustentabilidade familiar aplica-se a um esforço conjunto, visando a criação de laços afetivos que se sustentem diante dos ataques perpetrados contra os valores familiares, da chamada “família tradicional”, termo pejorativo utilizado para descrever a família cristã.

Como aqueles que lutam pela preservação do meio ambiente nós também devemos lutar pela preservação de nossas famílias, lutando por um ambiente onde reine o amor, o respeito e a vida. Um ambiente em que as funções: pai, mãe e filhos, sejam plenamente observadas. Funções em que o pai é o líder e a mãe a sua companheira de missão; e os filhos sejam aqueles que continuarão o legado aprendido de seus pais.

Famílias fortes são a garantia de que haverá de fato o amanhã. Assim, mantê-las têm a função de sustentabilidade em seu sentido mais restrito – a preservação do ser humano; um sinal de inteligência e preocupação com o futuro da humanidade.

Nelson Costa