A VERDADE QUE SUSTENTA

 

Todos os anos, assistimos estupefatos os mesmos acontecimentos que acontecem nas épocas das chuvas: desmoronamentos, alagamentos e destruição. Em muitos casos, famílias inteiras morrem soterradas.  Isto ficou tão corriqueiro nos noticiários que nos acostumamos em ouvir e ver tragédias.

 

As causas, pelo visto, são as mesmas. Construções próximas a encostas dos morros; à beira de precipícios; rios e demais áreas consideradas de risco.

Com a passagem das chuvas, em tais lugares, as torrentes de água deixam suas marcas – destruição e morte. Algumas casas ficam de pé, outras são derrubadas. O por quê de algumas permanecerem de pé tem duas explicações: localização e estrutura. Logo, de nada adiantaria uma boa estrutura se localizadas próximas a uma área de risco. Pelo que podemos ver, a localização é mais importante que a estrutura.

Isto fica claro nos ensinamentos de Jesus. Certo dia Ele disse aos seus discípulos:

Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha. E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia; E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda (Mateus 7.24-27).

Frente aos seus argumentos podemos enfatizar que uma família, na atualidade, para suportar os vendavais que se abatem sobre ela precisa estar apoiada nas orientações de Jesus. Construir uma família com base nos ensinos pós-modernos é edificá-la sobre a areia. Pós-modernidade é isso – areia. Muitos ensinos, pluralidade; época que dizem não haver uma verdade absoluta. Na prática, significa orientar a família com base em novelas, filmes, revistas e jornais.

Por outro lado, quem procura alicerçar sua família com base nos ensinos de Jesus, a edifica sobre a rocha. Um detalhe: a rocha é uma verdade só – Jesus. Ao contrário da areia, que são pequeníssimas pedras, ou rochinhas. O pluralismo moderno são estas pequenas pedrinhas, separadas e inconsistentes. Não foram projetadas para serem sustentáculos de algo tão grandioso como a família.

Jesus, portanto, não é uma verdade, como dizem os especialistas pós-modernos, Ele é a Verdade. Não parte dela, contudo, sua totalidade. Sabemos que não estamos isentos das adversidades da vida. A promessa de Deus é que Ele estará conosco nos momentos de dificuldades. Assim, por conseguinte, Ele será “o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia” (Salmos 46.1).

 
Nelson Costa