Aniversário sem aniversariante

 

Tenho saudades da época em que o Natal era um dia festivo. Era um dia especial não por causa dos presentes, pois nem sempre os ganhávamos. Mesmo assim, havia um sentimento de que algo muito importante acontecera naquele dia. Hoje sabemos que nada de fato aconteceu relacionado a Jesus no dia 25 de dezembro. Foi um dia escolhido pelos homens para comemorar o nascimento de uma nova era que veio através de Jesus.

Verdade é que, isto já não faz muita diferença na vida das pessoas. Natal virou negócio e um dia para a troca de presentes, onde o aniversariante nem sequer é mencionado, em muitos casos, sequer é lembrado.

Há muito tempo dizia o cantor Zé Geraldo em sua música “Cidadão” (1979), fazendo referência a algo que Jesus lhe havia revelado:

“Fui eu quem criou a terra; Enchi o rio fiz a serra; Não deixei nada faltar; Hoje o homem criou asas; E na maioria das casas; Eu também não posso entrar”.  

Na visão do cantor, muitas pessoas não permitiam a entrada de Jesus em suas casas.

Na presente era a coisa piorou. E nem mesmo no Natal, Jesus é convidado a entrar nas casas. O papai Noel é convidado antigo; a mesa farta é o desejo de todos; os presentes, estes não podem faltar, caso faltem, pode ser entendido como uma falta de consideração ao próximo. Pelo que podemos constatar, o único que parece não fazer falta nessa festa é o aniversariante.

Isso pode e deve ser mudado. Não precisa ser assim. Podemos reunir em família, dar presentes, comer e beber, contudo, Jesus deve ser o anfitrião da festa. Não apenas um convidado. Ele não pode ser convidado para o seu próprio aniversário. Nós é que somos os seus convidados. Oremos com Ele em família e lembremos que o que de fato nasceu foi um novo dia, pois Jesus sempre habitou na eternidade.

Nesse dia ficamos felizes por sabermos que não mais andamos nas trevas, o Pai nos presenteou com o seu Filho Jesus. Temos agora uma nova vida, a vida com Jesus.

Temos motivos para comemorar o Natal independente de presentes ou enfeites. Jesus está vivo entre nós. Não precisamos de árvores, Ele é a “Árvore da Vida”; não precisamos de presentes, Ele é o nosso presente; não precisamos de luzes, Ele é a nossa luz. Por fim, não precisamos de comida e bebida em excesso, pois Ele é o nosso “Pão da Vida” e a nossa “Água da Vida”. Jesus é o nosso especial alimento.

Por isso, ouçamos o convite, não dos anjos, e nem mesmo do velho Papai Noel, mas do velho profeta Isaías:

 “Ah! Todos vós, os que tendes sede, vinde às águas; e vós, os que não tendes dinheiro, vinde, comprai e comei; sim, vinde e comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite” (Isaías 55.1).

Portanto, não precisamos de dinheiro, enfeites ou presentes, porque a nossa maior riqueza não nos custa nada. Este é o verdadeiro sentido do Natal.

Nelson Costa

Fonte da imagem: disponível em:

 <http://imagenes-de-jesus.com/wp-content/uploads/2013/06/el-tambien-lloro.jpg> Acesso em 19 de dezembro de 2014.